Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Lisboa-Dili

Rui Correia

Vive em Timor-Leste desde 2007, tendo exercido funções de assessoria para o Governo de Timor-Leste na organização de eleições e na preparação do processo de descentralização administrativa.

Viveu em Angola durante 14 anos e durante a guerra civil. Presidente de uma Organização Não Governamental Portuguesa, desde há cerca de 25 anos que se dedica às causas humanitárias e de defesa dos direitos dos povos à sua autodeterminação. Neste particular e em referência a Timor Leste desenvolveu desde muito cedo, ainda quando a questão Timorense era um caso esquecido nos aerópagos internacionais e junto da opinião pública, trabalho de sensibilização promovendo a criação de uma rede de solidariedade no Sudeste Asiatico, participando na Missão Paz em Timor (Lusitânia Expresso) e no Referendo de 1999. Participou em diversas Missões de Observação Eleitoral da União Europeia, Governo Português e CPLP (Comunidade de Países de Língua Portuguesa).

Na área do audio-visual frequentou diversas acções de formação de Fotojornalismo e Cinema Directo, tendo realizado algumas exposições fotográficas. Também na área literária realizou trabalho com obras publicadas.

Desde muito novo ouviu as histórias de aventura de Serpa Pinto, explorador que mapeara o hinterland Africano ligando as costas do Atlântico ao Índico, lendo todos os seus relatos e literatura de viagens e descobertas. A ansiedade de partir e conhecer outros povos, outras gentes e o fascínio da aventura e das grandes viagens levaram-no sempre correndo mundo, a visitar, entre outros países:

Alemanha, Angola, Austrália, Bélgica, Cabo Verde, China, Palestina, Costa do Marfim, Espanha, Filipinas, França, Guiné Bissau, Haiti, Holanda, Hong Kong, Indonesia, Israel, Macau, Marrocos, Malásia, Portugal, Reino Unido, República Dominicana, Sahara Ocidental, Senegal, Singapura, Suécia, Suiça, S. Tomé e Principe, Tailândia, Timor-Leste, Venezuela, Turquia, Noruega.

Como característica do seu percurso de vida e da sua personalidade alia agora essas duas facetas, complementando-as neste projecto de história, aventura e ideais humanitários.